­

Aumentam casos de tipo raro de cancro ligados a implantes mamários

Os números globais de casos de cancro ligados aos implantes para aumento mamário, divulgados pela Food and Drug Administration (FDA), a agência norte-americana que regula os setores de medicamentos e alimentos, mostram um aumento de 359 para 414, segundo dados de setembro do ano passado, mantendo-se as nove mortes registadas no ano anterior.

Não se trata de cancro da mama, como se poderia pensar, mas sim um linfoma anaplásico de células grandes associado aos implantes mamários (BIA-ALCL na sigla em inglês). Detetado atempadamente, cura-se, na maioria das vezes, apenas com cirurgia para remoção do implante e da cápsula do tecido cicatricial que se forma em seu redor. Algumas mulheres, no entanto, tiveram de fazer quimioterapia e radiação, quando o BIA-ALCL se espalhou pelo corpo.

Aceda aqui à notícia completa.

Fonte: Visão

­

Este site utiliza cookies. Ao navegar neste site está a consentir a sua utilização | Consulte as condições de utilização e a nossa política de privacidade.
copyright 2000-2018 Sociedade Portuguesa de Senologia | Portugal