­

Instituto de Telecomunicações quer revolucionar rastreio do cancro da mama

O rastreio do cancro da mama é, atualmente, feito através de mamografia, um método que utiliza radiação ionizante e envolve a compressão da mama. O método que o Instituto de Telecomunicações tem vindo a explorar - utilização de imagem por microondas - não permite a mesma resolução do raio-X, mas oferece "um maior contraste entre tecidos saudáveis e malignos", o que favorece "uma deteção mais confiável".

O Instituto de Telecomunicações, explica, em comunicado que "as microondas, com níveis de potência inferiores aos usados nos dispositivos correntes de comunicações pessoais, não possuem riscos conhecidos para a saúde e o procedimento não envolve qualquer tipo de manipulação da mama."

Aceda aqui à notícia completa.

Fonte: Jornal Económico

­

Este site utiliza cookies. Ao navegar neste site está a consentir a sua utilização | Consulte as condições de utilização e a nossa política de privacidade.
copyright 2000-2018 Sociedade Portuguesa de Senologia | Portugal